Salazar, Caetano E O Reduto Branco

18.77

LUÍS BARROSO (Outubro de 2012)

A resistência à descolonização protagonizada pelo Estado Novo manifestou-se em várias frentes. O regime deitou mão a estratégias várias e diferenciadas no esforço derradeiro para manter intactas as suas possessões coloniais, crentes que estavam os seus dirigentes de que a manutenção do império colonial era condição essencial para a sobrevivência do regime criado no início da década de 1930 e, no entendimento de muitos, para a sobrevivência de Portugal enquanto nação independente (…) A crise nas relações luso-americanas e a ambivalência do comportamento britânico levaram a diplomacia portuguesa, neste início dos anos 1960, a procurar diversificar os seus apoios internacionais…

Esgotado

Descrição

A resistência à descolonização protagonizada pelo Estado Novo manifestou-se em várias frentes. O regime deitou mão a estratégias várias e diferenciadas no esforço derradeiro para manter intactas as suas possessões coloniais, crentes que estavam os seus dirigentes de que a manutenção do império colonial era condição essencial para a sobrevivência do regime criado no início da década de 1930 e, no entendimento de muitos, para a sobrevivência de Portugal enquanto nação independente (…) A crise nas relações luso-americanas e a ambivalência do comportamento britânico levaram a diplomacia portuguesa, neste início dos anos 1960, a procurar diversificar os seus apoios internacionais.

Sabemos hoje, com um considerável grau de certeza, que essa diversificação passou, num primeiro momento, pelo aproveitamento dos laços de cooperação e de cumplicidade com os aliados europeus, como a Alemanha Federal e a França. No entanto, houve uma outra dimensão da actividade diplomática e das relações internacionais do Estado Novo que tem merecido menos atenção da historiografia portuguesa e internacional: as relações político-diplomáticas de Portugal com os países da África Austral, nomeadamente com a África do Sul, a Rodésia, o Malawi e a Zâmbia. É justamente esta lacuna que o livro de Luís Barroso agora dado à estampa vem preencher.”

ISBN: 978-989-8070-96-8
Dim: 17,00 cm x 24,00 cm
Pag: 384pp

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Salazar, Caetano E O Reduto Branco”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *