A Comunidade Lusíada Em Joanesburgo

19.76

PAULO BESSA (Maio de 2009) 

A génese da presença portuguesa na África do Sul remonta aos Descobrimentos, existindo contactos há mais de meio milénio, materializados nas viagens transoceânicas e na proximidade das colónias lusas. O indivíduo tido como “o primeiro verdadeiro imigrante português, desembarcou no Cabo em 1722 e entrou ao serviço da Companhia [Holandesa das Índias Orientais].

Descrição

A génese da presença portuguesa na África do Sul remonta aos Descobrimentos, existindo contactos há mais de meio milénio, materializados nas viagens transoceânicas e na proximidade das colónias lusas. O indivíduo tido como “o primeiro verdadeiro imigrante português, desembarcou no Cabo em 1722 e entrou ao serviço da Companhia [Holandesa das Índias Orientais].

Chamava-se Inácio Ferreira e era natural de Lisboa,” sendo o ancestral dos afrikaners de apelido Ferreira. A constituição da comunidade lusa propriamente dita só se verificaria muito mais tarde. Após a “descoberta de diamantes, (…) em 1867, e de ouro, (…) em 1886, milhares de [europeus] confluíram para a África do Sul,” iniciando-se o fluxo português em 1872, tendo por destino a Cidade do Cabo, onde se estabeleceram madeirenses, sobretudo no sector pesqueiro, ingressando posteriormente nas províncias do Transvaal e Orange Free State, atraídos pelas riquezas minerais. A problemática da quantificação das comunidades lusas só foi abordada pelas autoridades de Lisboa no último quartel do século XIX, realizando-se então um levantamento dos portugueses de origem europeia na África do Sul através da rede diplomática, concluindo-se que, entre 1878 e 1911, ter-se-iam radicado neste país 2 270 portugueses, dos quais apenas uma minoria constava nos registos.

ISBN: 978-989-8070-30-2
Dim: 17,00 cm x 24,00 cm
Pag: 316pp

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Seja o primeiro a avaliar “A Comunidade Lusíada Em Joanesburgo”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *